domingo, 17 de agosto de 2014

Os materiais usados em personagens e figurinos e o que achei da exposição Castelo Rá-tim-bum.

Oláaaaaaa artistas e arteiros de plantão!

Que saudades de vocês e do blog! Estou com a vida tão corrida, com tantas novidades para postar aqui que acho que vou ter assunto até o final do ano,kkkk. Ah, e com certeza vocês vão ter que me aguentar falando de bebê, pois isto é uma das minhas novidades, minha gravidez!

Mas, voltando ao tema do blog, domingo passado não postei pois estava em São Paulo para visitar a exposição do Castelo Rá-tim-bum. Confesso para vocês que quando lançaram o castelo me senti meio traída, pois a minha infância foi assistindo ao programa Rá-tim-bum. O castelo pra mim seria uma espécie de traição com aquele programa tão legal, mas com o tempo, apesar de não tão criança em 1994, kkkkk, curti muito o castelo!

A exposição é muito legal porém fica um aviso; vá com muita paciência e protetor solar. Sim, as filas estão enormes. Pessoas especiais e gestantes como eu conseguem passar na frente, mas o restante tem que aguentar a fila. O pessoal da excursão só conseguiu comprar ingresso para o final da tarde, mesmo chegando as 9h 30min. da manhã. Pelo jeito o pessoal da organização não pensou que a exposição seria esse sucesso todo.


Sabe o que mais me impressionou lá? A simplicidade dos materiais. Pois é, as vezes nós que produzimos cenários e figurinos ficamos tão preocupados com a riqueza dos materiais que esquecemos que o mais importante são os efeitos dos materiais. Dava para perceber algumas coisas feitas com papel machê, E.V.A., costuras de overloque e croquis feitos com lápis de cor e canetinha.


Para começar os fantoches, genteeeeeee, o Mau é feito de E.V.A. ! Eu geralmente fujo dele, acho chato de cortar, mas depois de ver isso vou rever meus conceitos! O efeito é fantástico tanto na tevê quanto ao vivo e o bom é que é barato e fácil de encontrar. O gato da biblioteca é feito de espuma repicada com tesoura para dar efeito de pêlo.



 Os croquis foram feitos com materiais que nós temos como lápis de cor e caneta preta (acredito que seja a nanquim) e canetinhas. Adorei ver que os traços de Carlos Alberto Gardin também fugiram daquele esteriótipo de croquis de moda e se aproximaram da linguagem do mundo infantil. 






Outra coisa legal na exposição é você poder ver o processo de criação até chegar no personagem final. Quantos estudos foram feitos! E tem gente que tem preguiça de desenhar e descobrir o melhor!










 A mistura de materiais e texturas também é incrível,  então pessoal, misturem sem medo de ser feliz. Criatividade e mistura é tudo no processo de criação.

Tem muito mais na exposição, não ia contar tudo aqui né, kkkk. Até tenho mais fotos só que como muito gente não obedeceu às recomendações e tirava fotos com flash estou cheia de fotos horríveis.

Então para quem gostou e quer ir pessoalmente a exposição vai até dia 12 de outubro (dia das crianças) no M.I.S. (Museu de Imagem e Som) de São Paulo. 

Mais informações no link abaixo
http://www.mis-sp.org.br/icox/icox.php?mdl=mis&op=programacao_interna&id_event=1602

Espero que tenham gostado! Até mais pessoal!

Nenhum comentário:

Postar um comentário