sábado, 10 de maio de 2014

Desabafo: Arte, publicidade, educação.... e mães! Parabéns!

Olá artistas e arteiros, tudo bem?

Hoje vim fazer um desabafo. Fiquei sabendo de uma história e estou chocada até agora, sobre a que ponto nossa sociedade está chegando em relação ao valor do trabalho dos artistas. Para vocês entenderem, a história é a seguinte:

“Era uma vez, em um reino não “tão tão” da escritora aqui, um lugar onde as mães se revoltaram com a secretaria de cultura do reino, querendo impedir que esta divulgassem peças infantis porque elas não tinham condições de pagar para seus filhos assistirem. As crianças mais carentes estavam ficando frustradas com isso.
Todos ficaram chocados por causa desta atitude, porque se a secretaria não divulgasse mais, como todos podem ficar sabendo que haveria um evento cultural, inclusive peças infantis gratuitas?”

Pois é gente, está acontecendo isso...
 Realmente entendo a dor das mães de terem um filho pedindo para assistir a uma apresentação com o seu personagem favorito da tevê e não poder pagar. Já fui uma criança que ficou toda emburrada porque minha mãe não tinha dinheiro para o ingresso de um show dos Paquitos quando eu era pré-adolescente. Fiz birra e fiquei manhosa, sentindo-me a excluída de tão grande evento cultural na cidade, só que não....
Minha mãe ficou firme comigo, explicou nossas condições financeiras (nada boas na época) e me deu até uma roupa para minha Barbie de consolo.

Hoje agradeço minha mãe porque apesar de ser pobre ela tinha e tem até hoje, muito bom gosto e senso artístico. Hoje, no auge dos meus 32 anos, percebo o quão sábia ela foi.

Ela poderia ter pego dinheiro emprestado e deixado eu ir, feito minha vontade.Só que no fundo ela sabia que isso não era o melhor e que eu, assim como todas as crianças e adolescentes da atualidade, estava altamente influenciada pela mídia e publicidade que criavam um frisson em cima do evento.

Fico triste de ver que não existem tantas grandes mães e educadoras nas casas como eu tenho a honra de ter até hoje. Mães que sabem dizer NÃO, que sofrem por verem seus filhos frustrados e que são verdadeiras atrizes, pois nos enganam com aquela expressão “isso não tem importância”, enquanto no fundo estão se remoendo ao ver seus filhos tristes.

Mães que quando reconhecem algo bom e de grande valor cultural fazem de tudo para o seu filho poder participar e reconhecem o valor do artista, tanto do ator de um espetáculo teatral e de toda sua equipe técnica (que precisa de dinheiro para sobreviver, acredite!), músicos e sua equipe (idem aos atores), artistas visuais e sua equipe (idem idem idem).

Portanto mães, provem seu amor aos seus filhos educando-os, aprendendo que a vida não é feito só de SIM, é feita de frustrações e amadurecemos com elas. Valorizem o que é bom e não deixem seus bens mais preciosos, seus filhos, serem tão influenciados pela mídia. 
Não ir a um espetáculo do seu personagem favorito não vai matar ninguém, é só saber conduzir a situação com a sabedoria de mãe que vocês tem (com certeza!). Você tem grandes chances de receber um agradecimento daqui a alguns anos.

Aliás, pais e responsáveis, acho que todos deveriam cobrar de suas empresas o vale-cultura, já ouviram falar? Seria uma solução para as pessoas que recebem até 5 salários mínimos terem mais acesso a nossa cultura. Clique neste link para acessar a página e ver mais informações.

Para terminar, quero lembrar que todo artista têm ou teve uma mãe e  desejar a todas muitas felicidades neste dia e em todos os dias do ano e agradecer especialmente a Dona Maria Olímpia, minha mãe que me ensinou a dar a valor a tudo, a todos os artistas e suas coisas. Te amo minha linda! Cinco girassóis de Van Gogh para ela!



 Sei que talvez muitos não concordem comigo, mais enfim, foi meu desabafo! Beijos para todos!

Um comentário:

  1. Josilene
    Compartilho com você dessa tristeza. A sociedade tomou um rumo sem volta. Os valores foram trocados. As pessoas querem ter e não ser.
    Abs.

    ResponderExcluir